Setor privado de eventos cobra flexibilidade para festas no período do carnaval

Representantes do setor de eventos, convocados pelo Fórum das Entidades Representativas do Setor de Eventos, se manifestaram nesta quarta-feira, dia 16, na Praça do Bicame, onde está funcionando o gabinete do prefeito João Marcelo Dieguez (Cidadania). Eles reivindicam a revisão do decreto municipal que proibiu eventos com cobrança de ingresso e venda de bebida alcoólica.

A mobilização contou com um trio elétrico, foi defendido a flexibilização e cobrança de diálogo por parte da Prefeitura.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“A gente entendeu que depois do Réveillon houve uma propagação, a gente respeitou a decisão, mas, depois de 25 dias, a gente conclui que não tem sentido nenhum manter eventos fechados, até porque os eventos ficaram por dois anos fechados e nem por isso houve contenção do vírus. Hoje, com todos vacinados, e seguindo protocolos, a gente acredita que não tem por que inclusive liberar alguns eventos, como o futebol, e não ter outros tipos de eventos”. afirmou o diretor-geral do Sindicato das Empresas de Promoção, Organização e Montagem de Feiras, Congressos e Eventos de Minas Gerais (Sindiprom MG), Leonardo Simão.

Ainda de acordo com Simão, há pelo menos 30 eventos esperando liberação para acontecer durante o período que seria o carnaval e que uma delas pode receber aproximadamente duas mil pessoas por dia, e “que continua na expectativa para que haja liberação por parte do Executivo”.

Prefeitura se posiciona por meio de nota, confira:

“A Administração Municipal informa que, ontem (15/2), em reunião com sete representantes dos produtores de eventos ficou acordado que o grupo enviaria uma carta de intenções da indústria para a Prefeitura de Nova Lima.

Por fim, a posição da Prefeitura sobre o carnaval permanece o que consta no Decreto 12.017/22, ou seja, excepcionalmente durante o carnaval, entre os dias 18/02 e 02/03, estará suspensa a concessão de alvarás para a realização de eventos públicos ou particulares em todo o município. Ficam ressalvados eventos sociais, como casamentos, aniversários, formaturas e outros que não se caracterizam pela ocorrência de venda de ingressos e comércio interno de bebidas e alimentos. Essas medidas, associadas à forte fiscalização no período citado, são uma tentativa da Prefeitura de Nova Lima de coibir a movimentação de foliões em todo o território”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.