Nova Lima está agora na onda verde de transmissão do Coronavirus

Vacinação avança e com isso os números de infecção pela doença ficam estáveis; cidade testa flexibilização e vai monitorar novos dados

Após mais de um ano enfrentando à pandemia, Nova Lima declara a onda verde de enfrentamento para a Covid-19 no município. A onda quer dizer mais flexibilização para o comércio e que os dados de transmissão estão melhores. Isso, claro, muito fruto da vacinação na cidade, já que a Prefeitura anunciou que pelo menos 74% da população já está vacinada com a primeira dose. No entanto, é preciso manter os cuidados para que as internações e a transmissão não volte a subir.

Com a nova flexibilização decretada pelo prefeito João Marcelo, do Cidadania, “fica permitido o consumo em balcões em bares e restaurantes, desde que o local seja higienizado sempre que necessário e os clientes sejam atendidos sentados, em balcões fixos com espaçamento linear não inferior a 1,5m.”

Ainda de acordo com o decreto, “não há mais limite de ocupação em mesas, desde que respeitada a capacidade do local.”

Já os estabelecimentos que oferecem self-service, ficam obrigados a disponibilizar luvas descartáveis para que as pessoas possam montar seu prato.

Eventos liberados

Os eventos, que foram grandes problemas durante a pandemia com pessoas infringindo as regras, estão liberados. Há de se respeitar, no entanto, a duração máxima de 12 horas. Não há limitação de público para espaços abertos, desde que se respeite a capacidade. Para ambientes fechados, só pode ser admitido 50% da capacidade.

É preciso respeitar, ainda, o espaçamento de 1,5m por pessoa. Apesar da flexibilização, o decreto determina que a nova regra para eventos acima de 600 pessoas só estarão vigentes a partir do dia 6 de setembro, uma segunda-feira. O decreto ainda determina que “é necessária a apresentação de documentação oficial relativa à imunização do público.”

Para comprovar que foi vacinado, o município pede a carteira de vacinação com comprovação da imunização completa contra a Covid-19 concluída há pelo menos 15 dias; e, além disso, exame PCR que comprove que está negativo para a doença. Este exame é o do cotonete e é preciso ser feito com 72h de antecedência da data do evento.

O prefeito ainda determinou que os estabelecimentos serão os responsáveis por organizar filas para acesso ao comércio ou prestadores de serviços, sejam estas dentro ou fora do local. É preciso respeitar 1,5m.

Escolas sem restrições de horário

“As atividade presenciais nos estabelecimentos de ensino poderão ocorrer sem restrições de horários, em consonância com os protocolos vigentes”, é o que informa o comunicado da Secretaria de Comunicação. As medidas de prevenção que devem ser utilizadas são: usar máscara, higienize as mãos frequentemente e evitar aglomerações.

Nova Lima testa flexibilização

Nova Lima passa a ser uma das poucas cidades que testa a flexibilização ao distanciamento social com os bons frutos colhidos com a vacinação. Ao assumir a cidade, o jovem prefeito João Marcelo falou com o Jornal Sempre Nova Lima que já estava em contato com o Ministério da Saúde para acelerar a vacinação. Naquele momento, a cidade vivia um pico da doença e a saúde pública municipal beirava o colapso.

Apesar dos contatos com o Ministério, o que contribuiu mesmo com a rápida vacinação foi participar do projeto “Unidos pela Vacina”, comandado pela empresária Luiza Trajano, dona do Magazine Luiza. Nova Lima e a cidade do Rio de Janeiro foram as cidades pilotos do projeto, o que foi um golaço da gestão de JM na Prefeitura.

Apesar do bom momento, é preciso manter a atenção redobrada. Isso porque, Israel, uma das primeiras nações a vacinar grande parte da população com a vacina Pfizer/Biontech, está vacinando o público com a terceira dose após novos aumentos de casos da variante Delta, que ameaça a retomada da vida normal no mundo. O país foi também um dos primeiros a flexibilizar o distanciamento social.

Números atuais

Neste momento, Nova Lima tem 233 óbitos confirmados pela Covid-19, o que representa 1,29% dos casos confirmados, número bem abaixo da média nacional. A cidade tem 18.028 casos confirmados, sendo que ainda há 157 casos em acompanhamento e 4.878 casos em investigação. A cidade ainda tem três óbitos em investigação.

As pessoas em cuidados médicos somam 13, um enorme salto desde os últimos dias, quando chegou a atingir o menor pico (seis pessoas). Destas, nove estão em clínica médica, três em UTI/CTI e uma criança em pediatria. O número de pessoas em estado grave permanece baixo e está longe dos piores momentos da cidade, quando passou de 60 pessoas internadas em UTI/CTI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.