Editorial: João é a esperança de uma nova cidade

Foto: Reprodução/Facebook Oficial de João Marcelo - Ao lado direito o prefeito João Marcelo e ao lado esquerdo o vice-prefeito Diogo Ribeiro

Nova Lima possui duas forças políticas que foram quase sempre centrais na história do município. Vitor Penido de Barros, do Democratas, prefeito em seis ocasiões, e Carlos Roberto Rodrigues, raticado no PT e agora no PDT, quem governou a cidade por dois mandatos.

Os prefeitos que tentaram não orbitar entre estes dois centros, fracassaram, ou mesmo que não fracassaram, não vingaram. Vitor, por exemplo, colocou as finanças nova-limenses de volta aos trilhos e sempre governou respeitando os limites da responsabilidade fiscal. É difícil imaginar a cidade quebrando nas mãos dele, que é um gestor firme e que faz seus governos darem certo, além da sua vasta experiência política.

Carlinhos é um homem visionário, que instituiu políticas públicas jamais vistas na cidade e que ajudaram a elevar Nova Lima a outros patamares em serviços públicos. Rodrigues também não entregou Nova Lima “mal das pernas” ao seu sucessor e é um gestor de alta capacidade.

Desta vez, a política não só deixou de orbitar em torno destas duas forças, bem como a cidade elegeu um jovem para a gestão dos cofres públicos. Apesar de ter sido vice-prefeito de Penido, Marcelo teve coragem e entendeu o momento correto para se lançar prefeito.

João é capacitado e com seu jeito leve de ser, além da sua perspicácia, deixa a cidade ansiosa aguardando aos novos passos que a Prefeitura dará nos próximos anos. O prefeito-eleito, que em breve será prefeito empossado, é a esperança de uma gestão sem extravagancias fiscais, porém de políticas públicas inovadoras, de conexão das várias cidades e de novas ideias a frente de um novo mundo e novos objetivos.

Nova Lima precisa discutir a diversificação de sua matriz econômica, necessita enxergar de novo as desigualdades sociais, discutir e agir no tocante a habitação e de quebra, trazer políticas novas para a educação, saúde e segurança. Ao escolher um jovem, a cidade deu um recado claro e direto, que deseja vivenciar novos tempos, com ideias novas e práticas diferentes.

João não é Ronaldes que venceu do lado de Vitor; e não é Cassinho que venceu com apoio de Carlinhos. João marca a política com a sua eleição porque venceu sem o apoio da frente política e com isso se consolidou como uma nova força motriz.

Como é muita pretensão afirmar que o prefeito eleito não vai errar nesta trajetória, desejamos que seus erros sejam os mínimos possíveis, e que seus acertos sejam vistosos e grandiosos. Nova Lima merece, a nossa população anseia e nós precisamos de novos tempos, uma nova cidade.

Força, João! Eleve a nossa cidade a um novo patamar. São os nossos votos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.