A nova moda no futebol brasileiro é fazer com que as agremiações, abarrotadas de dívidas, tornem-se SAF. As SAFs são Sociedades Anônimas do Futebol, aonde interessados podem adquirir estas e com isso fazer do time um clube-empresa.

O caso de maior sucesso recentemente é o Cruzeiro, que diante de uma grave crise financeira caiu para a segunda divisão e se viu diante da necessidade de se tornar clube-empresa e com isso deixar as dívidas atreladas ao CNPJ antigo – quando se tornar SAF, cria-se outro cadastro. O ex-atacante Ronaldo Fenômeno foi quem adquiriu cotas da SAF.

Agora, o glorioso Villa Nova de Nova Lima também poderá seguir o mesmo caminho. O tradicional clube nova-limense vai eleger um novo conselho deliberativo nesta segunda-feira, dia 12, a partir das 19h30, no Alçapão do Bonfim e com isso deliberar pela criação da SAF.

E já tem quem está fazendo estudos para adquirir a sociedade vilanovense. Trata-se do Banco BMG, que tem Ricardo Guimarães como mandatário. Inclusive, já está em andamento um estudo para traçar um raio-x da situação do clube. Ricardo já é proprietário do Coimbra, time mineiro. Mas neste caso usará a estrutura para formar novos jogadores. Com o Villa, ele utilizará como clube de jogos profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.