Governo de Minas anuncia volta gradativa das aulas na rede estadual

Volta será gradativa e começa dos anos iniciais. Decisão não deve interferir em Nova Lima já que o público dessa faixa etária é atendido pela rede municipal.

Escola Estadual George Chalmers

O Governo de Minas anunciou para o próximo dia 21, a volta as aulas da rede pública sob sua responsabilidade, após decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJGM) que autoriza o retorno das aulas presenciais. Os profissionais da educação devem comparecer às insitutuições de ensino no dia 14 para iniciar a organização.

Segundo a Secretaria de Estado de Educação (SEE), o retorno das atividades presenciais é opcional e os pais poderão manter seus filhos no ensino remoto. “A volta será gradual, começando com as turmas de 1º ao 5º ano do ensino fundamental”, informou a SEE, em nota. 

De acordo com o governo estadual, estão inseridas na volta neste momento, as cidades que estiverem na onda verde ou amarela do programa Minas Consciente, conforme autorização do Executivo local

A secretária de Educação, Júlia Sant’Anna, disse que as pasta garante a segurança sanitária das escolas. “Desde fevereiro as escolas estão em processo de conclusão da adaptação de infraestrutura, ítens de segurança, produtos de limpeza. Fizemos um checklist para que cada um dos diretores fizessem um tratamento individualizado de cada escola, disponibilizamos R$ 90 milhões para viabilizar as adaptações necessárias”, detalha. 

Sindicato da classe deve recorrer na Justiça

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE) informou que deve recorre ao próprio TJMG para revisão da autorização para “que vai fiscalizar a convocação de profissionais ao trabalho presencial”.

A professora Denise Romano, coordenadora do SindUte se manifestou através das redes sociais, desmontando espanto e frustração.

Com muito espanto, indignação, recebemos a notícia da mudança de entendimento do TJMG que autorizou o Estado de Minas Gerais a abrir escolas por todo o estado. Precisamos denunciar as consequencias dessa decisão. Somos 200 mil trabalhadores que atendemos 1,5 milhão de alunos. Nós vamos tomar todas as medidas cabíveis no ambito da Justiça para garantir a vida dos trabalhadores da educação.

Denise Romano, SindUte MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.