Câmara mantém impasse e presidente não é definido

Foto: Alex de Jesus/ Jornal O Tempo

Quando tudo parecia caminhar para um desfecho, houve mais desentendimento. A Câmara de Nova Lima não elegeu o presidente da mesa diretora para a sucessão de Fausto Niquini (PSD), ex-vereador que terminou seu mandato em 31 de dezembro.

Na votação desta quarta-feira, dia 20, a presidente interina, Juliana Sales (Cidadania), renunciou ao cargo de presidente e com isso Tiago Tito (PSD) assumiu a cadeira. Sales afirmou que não concorda com os desfechos que a eleição vem tomando. Desde o dia 1º que um imbróglio vem travando a escolha.

Depois, o vereador em segundo mandato, Álvaro Azevedo (Avante), também renunciou a disputa contra Anisinho (PTB). A justiça havia determinado que uma nova eleição entre Anisinho e Álvaro acontecesse. Ambos empataram na eleição do dia 1º e precisavam desempatar. Com a renúncia, Danúbio (Cidadania) quis colocar Boi na disputa pela cadeira, o que foi de prontidão rejeitado pelos vereadores que apoiam Anisinho.

Na visão deles, Boi não pode ir para a segunda votação porque já participou da primeira e foi derrotado. A chance do grupo que tem Tito, Danúbio e Boi é colocar o vereador do Jardim Canadá porque ele é mais velho que Anisinho e no caso de empate ele ser o eleito. Boi é investigado pela Polícia Civil e teve endereços em seu nome sendo alvos de busca e apreensão.

Como não houve consenso o novo presidente interino, Tiago Tito, encerrou os trabalhos e não houve uma definição. Anisinho, Thiago Almeida (PT), Viviane Matos (DEM), Zé Lino e Claudinho da Vale, ambos do PP, chamaram uma coletiva de imprensa na Câmara nesta quarta às 14h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.