Para João, imprensa quer induzir população ao erro em escândalo de áudio

O vice-prefeito João Marcelo (Cidadania), candidato a prefeito em Nova Lima, disparou nesta quinta-feira, dia 22, contra os seus adversários nesta eleição e contra “parte da imprensa”, conforme ele mesmo disse.

Esta é a primeira declaração de João após o escândalo desta semana, onde o seu chefe de gabinete, Leonardo Ribeiro, é suspeito de gravar um áudio que acusa o candidato do governo, Wesley de Jesus (DEM), de pagar R$30 para cooperados da cooperativa de transportes que presta serviço ao município, a fim deles comparecerem a um evento de campanha do democrata. O áudio ainda afirma que Wesley iria demitir quem não fosse.

O áudio foi periciado por peritos contratados pela campanha de Wesley e chegaram a conclusão que a voz é do chefe de gabinete de Marcelo.

“Quem conhece a voz do Léo (chefe de gabinete), sabe que a voz não é dele. Antes de ser meu chefe de gabinete, o Léo é um artista e construiu a trajetória dele em cima da credibilidade do nome dele”, defendeu o candidato do Cidadania.

“Já foi contratada perícia homologada pela Justiça que irá provar a inocência do Leonardo. E aí, Vitor Penido, Wesley de Jesus e Fausto Niquini vão pagar pelos atos que cometeram ontem, em entrevista coletiva, fazendo claramente um linchamento público, irresponsável e injusto contra o Leonardo.”

Já sobre a imprensa, João afirmou que “a imprensa quer fazer que o nova-limense acredite que essa perícia é da justiça; quer induzir o nova-limense ao erro. Grande parte da imprensa (tem o intuito de fazer isso). Esta é a maior das fake news”, disse.

O Sempre encaminhou uma mensagem ao Leonardo e tentou contato com ele, sem sucesso.

1 thought on “Para João, imprensa quer induzir população ao erro em escândalo de áudio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.