PF localiza Zé Trovão, líder de atos dos caminhoneiros, em hotel do México

Considerado foragido pela Justiça brasileira, ele é uma das lideranças da paralisação da categoria que pressiona pela saída de ministro Alexandre de Moraes do STF

Foto: O líder dos caminhoneiros, Zé Trovão

Do Jornal O Tempo

A Polícia Federal localizou, nesta quinta-feira (9), em um hotel do México o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé ec. Ele deve ser preso, para então ser transportado de volta ao Brasil, que tem, desde 1933, um tratado de extradição com o México.

Considerado foragido pela Justiça brasileira, ele é uma das lideranças da paralisação da categoria que, entre outras coisas, pressiona pela saída de ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF).

Zé Trovão, entrou com um pedido de asilo político no país da América do Norte, em companhia do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, também alvo da justiça brasileira. Mas, até o momento, nenhum dos dois teve resposta do governo mexicano.

No último dia 3, Alexandre de Moraes, a pedido da Procuradoria-Geral da República, determinou a prisão do caminhoneiro. No dia 7 de setembro, o magistrado expediu um novo mandado para prender Eustáquio em razão de uma live feita com Zé Trovão.

Policiais federais detectaram que ele havia deixado o Brasil antes da ordem de prisão, por meio de um voo para o México, e estava em um hotel na Cidade do México, onde foi encontrado nesta quinta.

Ameaças ao STF

Mesmo foragido, Zé Trovão continuou gravando vídeos e incitando os atos do dia 7 de setembro. Nos últimos dias, ele pediu aos caminhoneiros que fechassem as rodovias, o que tem ocorrido desde ontem.

A prisão dele foi determinada por Alexandre de Moraes, após fazer ameaças ao STF. 

“Eu vou te fazer um convite, Alexandre de Moraes. Que tal você mesmo vir à Paulista no dia 7 de setembro e me prender? Estarei lá a sua disposição”, afirmou Zé Trovão pouco antes dos atos desta semana, aos quais não compareceu.

Abandono de Bolsonaro

Nesta quinta-feira, o caminhoneiro gravou um vídeo desabafando sobre ter tido sua “vida destruída” e ser “perseguido politicamente”. Ele criticouJAir Bolsonaro nas imagens, alegando não ter tido apoio. 

“[Estou] passando por tudo com risco de nunca mais ver minha família, porque eu não vou para cadeia, porque eu não sou bandido. Nós queremos que o senhor fale para o povo brasileiro isso, que o senhor faça um vídeo”, concluiu.

Já em outro vídeo, Zé Trovão, afirmou que em breve será deportado para o Brasil.

“Em alguns momentos eu devo ser preso, não vou mais fugir. Chega”, disse em vídeo postado por ele em um grupo do Telegram.

“A embaixada brasileira acabou de entrar em contato com o hotel em que eu estou. Estou indo para o Brasil preso. Preso politicamente por crime de opnião”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.