Goleiro ofendido em jogo contra o Villa Nova promete processar torcedores

O goleiro Elissom, do Ipatinga, lamentou profundamente as ofensas que escutou oriunda de alguns torcedores do Villa Nova na vitória do time nova-limense na última semana. O Leão venceu a partida por 3 a 0 na última quarta-feira e continuou a boa fase no módulo 2 do Campeonato Mineiro 2021.

O jogador que perdeu o seu filho depois de uma tragédia, afirmou que escutou de torcedores que a morte do garoto de 6 anos há época era sua culpa. O goleiro ainda afirmou que ouviu ameaças de morte.

“Desde o aquecimento os torcedores começaram a me intimidar. Eu falei que isso era errado, respeito tanto o Villa e que eu não sabia porque eles estavam me xingando. Quando eu fiz uma defesa no primeiro tempo, um começou a me chamar de mercenário porque eu coloquei o Cruzeiro na Justiça para ir atrás dos meus direitos”, disse.

“Aí, alguns falaram que a morte do meu filho era culpa minha, e que iam me matar para eu encontrar com ele. Um disse que era para eu sair, porque era mais fácil ele me pegar fora do campo do que dentro. Eu disse que eu perdoava eles, até mostrei a minha camisa térmica que tem uma foto do meu filho. Eu não estava nervoso na hora, mas assustado. Poxa, era apenas um jogo, dura 90 minutos. Depois, todo mundo é amigo aqui fora”, relatou.

Elissom disse que vai tentar identificar os agressores e processá-los. “Vou pegar as provas que eu já tenho, juntar mais, e peço a ajuda das pessoas, caso elas tenham imagens ou informações e me mandem. Eu não quero nada desses caras, só quero correr atrás dos meus direitos”, afirmou Elissom ao Jornal O Tempo.

“As pessoas não podem sair falando o que pensam. É muito difícil estar num momento como esse e ainda tocarem na ferida. Eu não consegui dormir, comer, mas eu vou me reerguer, com a ajuda de Deus. Sempre foi assim. O ser humano tem que pensar mais, tem que ter mais empatia. O que será preciso acontecer para essas pessoas se colocarem no lugar dos outros?”, questionou.

“Tenho pedido forças a Deus. A saudade não passa, a gente só se acostuma com a ausência. Agora é tentar tirar o Ipatinga dessa situação. Perdemos, mas a derrota mesmo foi esse acontecido”, finalizou.

O Villa se pronunciou sobre o caso: “O Villa Nova Atlético Clube repudia as manifestações infelizes direcionadas ao goleiro Elissom no jogo de ontem. Os fatos ocorridos não condizem com as ações e práticas adotadas pela Instituição.”

A Pavilhão Vermelho, torcida organizada do time de Nova Lima, também emitiu nota: “A torcida organizada Pavilhão Vermelho vem por meio dessa nota que não compactua com os fatos narrados, que a atitude de torcedores isolados não reflete a imagem da torcida, bem como a única função da torcida era cantar, apoiar o Villa, impulsionar o time e jamais fazer provocações a nenhum atleta.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.