Câmara recebe pedido de cassação do mandato de Tiago Tito

Parlamentar está preso desde essa terça-feira (11), em decorrência de operação do MPMG e Polícia Civil. Ele é investigado por peculato, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

A Câmara Municipal de Nova Lima recebeu nesta quarta-feira, dia 12, documentos com pedido cassação do mandato do vereador Tiago Tito, do PSD, preso nesta última terça-feira, dia 11, em segunda fase da operação “Contrato Leonino”, coordenada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e Polícia Civil.

O pedido foi feito pelo advogado Mariel Márley Marra, que alega quebra de decoro parlamentar em decorrência das intervenções do parlamentar e seu chefe de gabinete no suposto esquema de “rachadinha”.

Tito está em seu segundo mandato na Câmara, sendo reeleito no ano passado com 1.653 votos, 3º mais votado no pleito. Ele chegou a concorrer para vice-presidente do Legislativo na chapa encabeçada pelo vereador José Carlos “Boi” e Danúbio Machado, então candidato a secretário.

As investigações apontam para o envolvimento do parlamentar e seu chefe de gabinete em esquema de rachadinha, desvio de dinheiro público e favorecimento de um empresário em licitações no Legislativo e no Executivo.

De acordo com o delegado Gabriel Ciríaco, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), estão sendo apurados os crimes de peculato, na modalidade ‘rachadinha’, associação criminosa, falsidade ideológica de uso nesses documentos falsos, dispensa irregular de licitação e eventual lavagem de dinheiro”, além da relação entre o vereador e um empresário de Nova Lima, no ramo de construção civil com supostas facilidadas e favorecimentos em licitações. Segundo os envolvidos na operação, o empresário foi financiador da campanha de Tito.

O grupo investiga também ameaças sofridas pela ex-assessora do vereador demitida após não conseguir mais retornar o dinheiro pedido pelos presos no esquema de rachadinha. Ela também entregou documentos relevantes ao caso. O carro da família dela foi incendiado na garagem da casa aonde moram. As investigações visam também esclarecer este fato.

A Câmara emitiu nota referente a operação.

Com relação ao mandado de busca e apreensão direcionado ao gabinete do vereador Tiago Tito, na manhã desta terca-feira(11), a atual gestão da Câmara Municipal de Nova Lima reitera seu compromisso com a transparência, estando à disposição das autoridades competentes para contribuir no processo investigativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.