Vereador estaria envolvido em esquema que vendia terrenos da Anglo

Foto: Alex de Jesus/ Jornal O Tempo

A Polícia Civil prendeu três funcionários da Anglo Gold Ashanti nesta quinta-feira, dia 17, após a própria mineradora denunciar um esquema de venda de imóveis próprios por parte de funcionários sem conhecimento da empresa.

Além destes três funcionários presos, a Polícia Civil investiga a possível participação de um vereador de Nova Lima no esquema. Não apenas: um cartório também estaria envolvido.

A investigação, que começou em 2019, identificou que funcionários da empresa estavam cometendo estelionato, associação criminosa e falsidade ideológica.

A Civil não informou quem é o vereador que vem sendo investigado.

As investigações prosseguem pela PCMG. O chefe do Departamento Estadual de Combate à Corrupção e a Fraudes, delegado-geral Agnelo de Abreu Baeta, ressalta que a apuração ainda irá se desdobrar. “Essa investigação provavelmente vai chegar em algum parlamentar no município de Nova Lima. Sem contar também alguns cartórios ou um determinado cartório que possivelmente possa estar envolvido nesse tipo de atuação”, alertou.

Atualizado com informes do site da Polícia Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: O conteúdo está bloqueado. Entre em contato para solicitar o texto.